Notícias

1 15/06/2019 07:26

Nilson Fonfon aceita participar de acareação com outros depoentes para provar a veracidade de seu depoimento, que contradiz anteriores

A Comissão Parlamentar Processante constituída para investigar a denúncia de improbidade administrativa que teria sido cometida pelo prefeito de Canavieiras, Dr. Almeida, na contratação de tratores para o lixão, ouviu nesta sexta-feira (14), novos depoimentos. Os inqueridos foram o ex-secretários de Obras Nuno Pinto, o empresário Paulo Rogélio Gomes Mendonça e o ex-servidor Ednilson Nascimento (Nilson Fonfon), que foram inqueridos pelos vereadores Cleonildo Tibúrcio, Ricardo Dantas e Nilton Nascimento.

Em sua oitiva, o arquiteto Nuno Pinto pouco acrescentou ao processo da CPI do Lixão, deixando novas dúvidas a serem dirimidas nos próximos depoimentos, como a escolha dos tratores com escarificador e ripper. Ele também não soube explicar o motivo de estipular as 1.200 horas de trabalho especificadas no edital, nem quem seriam os responsáveis por essas especificações.

Nuno Pinto assumiu a secretária de Obras em 2 de janeiro e foi exonerado em 6 de março de 2017, tempo suficiente para solicitar a locação dos tratores, pois, segundo ele, o lixo se acumulava até a rodovia Canavieiras a Santa Luzia. Nuno também não se lembra quando foram iniciados os serviços dos tratores no lixão, embora tenha consciência de terem sido ainda quando era secretário.

Foto: Cia da Notícia/ Depoimento do ex-secretário Nuno Pinto

Em sua oitiva, o arquiteto Nuno Pinto pouco acrescentou ao processo da CPI do Lixão, deixando novas dúvidas a serem dirimidas nos próximos depoimentos, como a escolha dos tratores com escarificador e ripper. Ele também não soube explicar o motivo de estipular as 1.200 horas de trabalho especificadas no edital, nem quem seriam os responsáveis por essas especificações.

Nuno Pinto assumiu a secretária de Obras em 2 de janeiro e foi exonerado em 6 de março de 2017, tempo suficiente para solicitar a locação dos tratores, pois, segundo ele, o lixo se acumulava até a rodovia Canavieiras a Santa Luzia. Nuno também não se lembra quando foram iniciados os serviços dos tratores no lixão, embora tenha consciência de terem sido ainda quando era secretário.

Foto: Cia da Notícia/ Depoimento do empresário Paulo Rogélio

No segundo depoimento, o empresário Paulo Rogélio Gomes Mendonça, que subloca, de vez em quando, um trator Komatsu à Carvalho Santos, para trabalhar na remoção e acomodação no lixão de Canavieiras. O empresário confirmou ter trabalhado no lixão na gestão passada, confirmando o valor de R$ 39.835,00, em duas faturas, nos valores de R$ 24.180,00 e R$ 15.655,00.

Paulo Rogélio disse que locava o seu trator à empresa Carvalho Santos a R$ 150,00 a hora, apesar do preço normal ser de R$ 180,00, e que o preço praticado era uma questão de amizade e serviços constantes. Apesar do edital e contrato especificar tratores de esteira equipados com ripper e escarificador, o trator da empresa de Paulo Rogélio não possuía nenhum desses equipamentos.

Garantiu o empresário Paulo Rogélio, que a cada vinda ao lixão o seu trator passava cerca de oito a dez dias trabalhando, embora não tenha nenhum contrato de sublocação do seu trator com a Carvalho Santos. Os serviços eram contratados devido à amizade e pagos com base nas horas trabalhadas, controladas através do horímetro da máquina, anotados num papel com o início e saída. Ele confirmou, ainda, que basta dar partida no motor para que o horímetro passe a contar o tempo de trabalho.

Depoimento do ex-chefe de obras Nilson Fonfon

O terceiro depoente da segunda rodada de oitivas foi o ex-chefe do departamento de estradas, Edenilson Nascimento (Nilson Fonfon), que trabalhava diretamente com as máquinas, trouxe, ainda mais contradição aos depoimentos. Ele negou que os tratores de esteira tivessem trabalhado nas estradas vicinais, bem como na cascalheira da fazenda do empresário Eraldo e aceitou se submeter a acareação com qualquer pessoa, pois nas jazidas de cascalham quem atuam são escavaderias.

Ele também negou ter vistoriado todos os equipamentos constantes na relação do processo de licitação nº 030-2017, referente ao pregão nº 7, como tratores com escarificador e ripper, bem como uma patrol com ripper. Segundo ele, as máquinas não eram acompanhadas com esses equipamentos. Nilson Fonfon disse, ainda, que nem todos as máquinas eram acompanhadas pelo horímetro, pois Clery teria lhe informado que algumas delas eram locadas por diária.

Quando aos serviços prestados pelo trator no lixão, algumas vezes foi solicitado por três vezes por Clery para que fosse pegar os números do horímetros trabalhados e que não trabalhava todos os dias, e que não tinha conhecimento de ter trabalhado 120 horas mensais, contrariando os depoimentos anteriores. Segundo Nilson, o trator somente saiu do lixão por um período de cinco dias, para aterrar os “piscinões” no areal.

Para finalizar o depoimento, Nilson Fonfon afirmou que nunca viu nenhum trator equipado com ripper trabalhando em Canavieiras e somente uma patrol do município equipada com escarificador e que trabalhou sob seu comando. Ele reafirmou que não tem interesse em prejudicar ninguém, pois se respeita e a sua família, agradecendo à Comissão processante que estava trabalhando com seriedade.

 

Fonte: Cia da Notícia

 

 

Rua Tiradentes, 30 – 4-º Andar – Edf. São Francisco – Centro - Santo Antônio de Jesus/BA. CEP: 44.571-115
Tel.: (75) 3631-2677 - A Força da Comunicação.
© 2010 - RBR Notícias - Todos os direitos reservados.