últimas notícias








Entretenimento

1 18/05/2020 14:58

Em tempos de pandemia gerada pelo novo Coronavírus o uso de máscaras se tornou um habito corriqueiro, entretanto para as pessoas que sofrem de mau hálito tem uma significância ainda maior.

O mau hálito ou halitose, ocorre quando há liberação de odores desagradáveis pela boca ou por outras cavidades aéreas como nariz, seios da face ou garganta. É uma queixa corriqueira entre adultos de ambos os sexos em todo o mundo. As causas são diversas, sendo que as mais comuns estão relacionadas à presença de bactérias nas cavidades respiratórias, principalmente bactérias do tipo “anaeróbias”. Essas bactérias decompõem material orgânico em um processo anaeróbio, que produz gás.

Pela manhã, temos um mau hálito fisiológico, ou seja, normal. Durante o sono, há uma redução da produção de saliva e uma leve hipoglicemia, o que aumenta a concentração das bactérias anaeróbias na boca. Após a higiene matinal convencional e o desjejum, normalmente esse mau hálito melhora.

Em situações nas quais o mau hálito persiste apesar da higiene bucal e mesmo sem alimentos sabidamente ruins para o hálito, temos um quadro que chamamos de “halitose patológica”. Nestes casos, o problema é originário da boca em 80 a 90% dos casos. Gengivites, periodontites, glossites e saburra lingual estão entre as causas mais comuns e podem estar relacionadas a má higiene bucal, alimentos específicos e hábitos como tabagismo e etilismo. Outra possibilidade é a presença de pequenos buracos nas amígdalas, que chamamos de criptas. Amígdalas com muitas criptas podem reter restos de alimentos, que ficarão sobre a ação das enzimas da saliva e sobre a ação da flora bacteriana da boca e formarão os caseos. Caseos são bolinhas branquinhas ou amarelinhas que ficam nas amígdalas e que têm um cheiro e um gosto muito ruins.

Mas não é apenas o aumento de bactérias que pode levar a halitose. Algumas situações propiciam o aumento de fungos na boca, o que também pode provocar odor ruim. Imunidade baixa, uso de corticoides, de antibióticos, quimioterapia, radioterapia, doenças infecciosas virais crônicas e demais situações que impliquem em queda da imunidade do indivíduo podem proporcionar um ambiente bucal favorável ao aparecimento da candidíase oral, conhecida popularmente como “sapinho”, na qual o dorso da língua fica com uma camada esbranquiçada espessa (não confundir com a saburra lingual normal). O aroma tende a ser um pouco mais adocicado.

O mau hálito pode ser investigado e tratado, muitas vezes de forma fácil e rápida. Se você estiver com esse problema, procure um médico otorrinolaringologista.

 “As informações aqui colocadas são de caráter informativo. Cada paciente possui suas particularidades e deve ser avaliado e tratado de forma individualizada. Fonte: clinicagobbo.med.br.

1° Dica: USE FIO DENTAL
Muitas pessoas pulam esta etapa da higiene bucal, isso porque não fazem ideia de que o cheiro ruim muitas vezes pode ser de comida acumulada entre os dentes, onde só a escova não a alcança para fazer a limpeza completa.

Passe fio dental ao menos uma vez ao dia (ou mais, dependendo do que o seu dentista recomendar).

2° Dica: ESCOVE A LÍNGUA
Já escovou os dentes e passou fio dental? Excelente, mas não para por aí! Ainda falta um pequeno detalhe, A LÍNGUA!

Você deve gentilmente escovar a língua (pode com a escova e pasta de dentes mesmo), para retirar acúmulos de comida que ficam na superfície dela e retirar uma camada de bactérias que pode se concentrar nela.

Viu que simples e fácil? Mas acredite, muitos esquecem!

3° Dica: BEBA MUITA ÁGUA
Como assim? O que a água tem a ver com a minha higiene bucal? Na verdade, tudo! Além dos tantos outros benefícios, a água ajuda a evitar o mau hálito já que, em muitos casos, o mau cheiro é causado pela boca estar seca ou com pouca saliva.

É por isso, inclusive, que o hálito não costuma ser tão “fresco” quando acordamos.

4° Dica: ALIMENTAÇÃO
Cuidado com a dieta radical, que elimina o carboidrato, ela tende a causar halitose. E sempre que possível, coma alimentos duros e fibrosos.

Alimentos como maça, cenoura, pepino, têm maior ação de limpeza, pois são capazes de fazer uma raspagem nos dentes evitando o acúmulo de bactérias em sua superfície.

5° Dica: REMÉDIOS
Cuidado com os remédios que anda tomando! Alguns medicamentos podem alterar o fluxo salivar!

 

 

 

Da Redação.

 

Rua Tiradentes, 30 – 4-º Andar – Edf. São Francisco – Centro - Santo Antônio de Jesus/BA. CEP: 44.571-115
Tel.: (75) 3631-2677 - A Força da Comunicação.
© 2010 - RBR Notícias - Todos os direitos reservados.