últimas notícias








Entretenimento

1 24/07/2019 09:53

Faz quase dez anos que numa cruzada de pernas Paula Fernandes se tornou a favorita do Rei. O ano era 2010 e a sertaneja ainda não era uma voz conhecida do grande público até aparecer num especial de Natal como convidada de Roberto Carlos. O sucesso aconteceu, a moça foi indicada a seis Grammy, gravou com astros internacionais, ganhou fama, dinheiro e... antipatia.

Nas rodas de produtores de eventos país afora o nome Paula Fernandes é logo sucedido de um “essa não”. O cachê da cantora caiu pela metade. Chegou a R$ 250 mil por show e agora não ultrapassa os R$ 120 mil. E ainda assim muita gente diz não.

Faz quase dez anos que numa cruzada de pernas Paula Fernandes se tornou a favorita do Rei. O ano era 2010 e a sertaneja ainda não era uma voz conhecida do grande público até aparecer num especial de Natal como convidada de Roberto Carlos. O sucesso aconteceu, a moça foi indicada a seis Grammy, gravou com astros internacionais, ganhou fama, dinheiro e... antipatia.

Nas rodas de produtores de eventos país afora o nome Paula Fernandes é logo sucedido de um “essa não”. O cachê da cantora caiu pela metade. Chegou a R$ 250 mil por show e agora não ultrapassa os R$ 120 mil. E ainda assim muita gente diz não.

Aliado ao gênio forte veio a ascensão do “feminejo”, com Marília Mendonça capitaneando outras cantoras que seguem com cachês nas alturas e agendas sem datas livres. Na de Paula Fernandes sobram até fins de semana. Até o dia 17 de agosto, ela só tem cinco shows marcados. Três no Brasil, em festas com outros artistas, e em Portugal. “Dificilmente conseguimos vendê-la sozinha. Ela entra no combo de outros artistas que tocam em festas e exposições. Ficou difícil trabalhar a imagem da Paula”, conta uma agente.

 

 

*Diário Vip

Rua Tiradentes, 30 – 4-º Andar – Edf. São Francisco – Centro - Santo Antônio de Jesus/BA. CEP: 44.571-115
Tel.: (75) 3631-2677 - A Força da Comunicação.
© 2010 - RBR Notícias - Todos os direitos reservados.