Notícias

1 14/09/2018 10:20

Mostrar que existe prevenção para o suicídio é o principal objetivo da campanha Setembro Amarelo. Esta é a terceira maior causa de morte entre homens de 15 a 29 anos (depois da violência e dos acidentes de trânsito), e a quarta entre os jovens em geral, de acordo com dados do Ministério da Saúde. A falta de pertencimento e de propósito de vida são algumas das causas que levam uma pessoa a tirar a própria vida. O maior fator de risco para o suicídio é a presença de transtornos mentais não tratados de maneira apropriada.

— O suicídio de jovens e adolescentes está ligado a várias causas, inclusive ao sentimento de não existência. Por exemplo, quando alguém sofre bullying, é como se não houvesse um acolhimento dele por parte do grupo. Uma vez que não querem a presença dela, o que a pessoa faz é concretizar esta não existência — diz Valdecy Carneiro, psicólogo e especialista em medicina comportamental. 

Falar deste problema é uma das maneiras de quebrar o tabu que existe em torno do tema. De acordo com o psiquiatra Ariel Lipman, questionar alguém sobre suicídio não incentiva a prática:

— A gente não pode ter medo de abordar o assunto, porque esse pensamento de que ao falar sobre suicídio você poderia dar “ideia” que a outra pessoa ainda não tinha pensado é mentira.

Desde 2011, a notificação de tentativas e mortes é obrigatória no país. Em média, 11 mil brasileiros cometem suicídio e 8 mil tentam tirar a própria vida, por ano.

— Quando fazemos uma campanha de alerta e conscientização, mostramos que a ideação de suicídio tem tratamento. Normalmente temos uma causa identificável, que pode ser tratada. Assim, aumentamos a possibilidade da pessoa ter acesso a um tratamento — finaliza Ariel.

O Globo

Rua Tiradentes, 30 – 4-º Andar – Edf. São Francisco – Centro - Santo Antônio de Jesus/BA. CEP: 44.571-115
Tel.: (75) 3631-2677 - A Força da Comunicação.
© 2010 - RBR Notícias - Todos os direitos reservados.